10 bruxas assustadoras da mitologia



As bruxas e bruxaria têm cativado as mentes de todos: de moradores irritados perguntando por que as mulheres da cidade estavam ganhando um senso de independência até o cidadão comum perguntando se o chá de ervas na noite passada foi uma poção ou apenas um chá muito ruim. As bruxas têm sido vistas como objetos de sabedoria e do mal no folclore de muitas gerações.

10 – Kikimora



A Kikimora, cujo nome é extremamente divertido de se pronunciar, é um espírito familiar que deve – acima de todos – ser respeitado. É o equivalente feminino e esposa para o Domovoi, ou espírito familiar masculino, e sua presença é sempre dada por pegadas molhadas. Então, o que faz de Kikimora uma bruxa com quem você não quer cruzar? Bem, ela é um tanto inofensiva, mas se for desrespeitada, vai assobiar, quebrar pratos, e jogar as coisas ao redor. A menos que você goste de todas as suas coisas quebradas, é melhor ficar em seu lado bom.

9 – Circe



Um personagem famoso na Odisséia de Homero, Circe era uma bruxa que vivia em uma ilha chamada Aeaea. Ela pegou um passatempo bastante peculiar – ela transformava marinheiros em lobos e leões e todos os tipos de animais após a drogá-los. Ei, algumas pessoas colecionam selos, outras, transformam homens em animais. Quem somos nós para julgar?

Quando Ulisses visitou Aeaea, Circe transformou seus homens em porcos, mas a Ulisses foi dada uma planta mágica pelos deuses que impediu Circe de transformá-lo. Depois de fazer Circe jurar não traí-lo, Odisseu e seus homens viveram sob a proteção de Circe por um ano antes de tentar navegar de volta a Ítaca.

8 – Morgan Le Fay



A maioria das pessoas são vagamente familiarizadas com a lenda do Rei Arthur e seu companheiro, mago Merlin, mas poucos de nós se lembra de um personagem com o nome de Morgan Le Fay. Nos mitos, ela trabalha incansavelmente com sua magia para derrubar a boa rainha Guinevere, que a baniu da corte, quando era mais jovem. Ela tenta trair o amante de Guinevere, Sir Lancelot, e frustrar as buscas dos cavaleiros do rei Arthur. O destino final de Morgan é desconhecido, mas ela eventualmente reconcilia com o rei Arthur e leva-o para Avalon após sua batalha final.

7 – A Bruxa de Endor



A bruxa de Endor não era necessariamente maléfica, mas o destino sobre o qual ela falou não era para ser ignorado. Como a história vai, o rei Saul foi procurou a bruxa de Endor por respostas sobre como derrotar os filisteus. A Bruxa, em seguida, convocou o fantasma do profeta Samuel, que não lhe disse como derrotar os filisteus, mas profetizou que ele seria derrotado e se juntaria a seus três filhos em vida após a morte. Saul, ferido no dia seguinte na batalha, se mata por medo. E enquanto a Bruxa tecnicamente não fer Saul se matar, ela foi certamente um acessório.

6 – Jenny Greenteeth


Dependendo de onde na Inglaterra, você pode conhecer esta bruxa cruel como Gina, Jinny, Jeannie, ou má Jenny. Jenny Greenteeth era uma bruxa que intencionalmente afogava os jovens e os velhos por pura diversão. Em algumas lendas, ela devora as crianças e idosos. Em outros, ela é apenas uma sadista que aprecia a dor de suas vítimas. Ela é freqüentemente descrita como tendo uma pele verde e dentes afiados. Tal como acontece com muitos personagens assustadores do folclore, ela provavelmente foi usada para assustar as crianças a se comportar e fica perto da borda da água. Mas a principal moral desta história é esta: ficar longe de bruxas verdes do rio.

5 – Chedipe



Ah, Chedipe. O que tu és: uma bruxa, um vampiro, o que? De qualquer maneira, ela não é muito dama ao luar. O Chedipe é uma mulher que morreu durante o parto – ou cometeu suicídio – e é o equivalente indiano da súcubo. Ela anda em um tigre na luz do luar, e quando entra em um lar, nem uma alma vai acordar ou notá-la. Em seguida, ela suga a vida de cada homem através do pé – sim, os dedos dos pés – e sai sem deixar vestígios.

4 – As Irmãs Estranhas



Macbeth, de Shakespeare, é uma das peças que definem o bardo, com personagens brilhantes em abundância e uma história cheia de magia, traição e medo. Mas os primeiros personagens da história são aqueles que definem tudo em movimento – as Weird Sisters. E sim, são mais do que um pouco estranhas – mas, neste caso, “estranho” significa “destino”, por isso eles são as “Irmãs do Destino”. Atuam como agentes de destruição e não apenas enviam Macbeth em uma espiral de corrupção e paranoia, enviam toda a Escócia para a guerra apenas para tirar um homem do poder. Isso é maldade.

3 – A Bruxa de Bell



A Bruxa de Bell é a mais famosa bruxa no folclore norte-americano, e sua história é o tipo que você contaria em torno de uma fogueira. Era supostamente um poltergeist que apareceu na casa de John Bell, Sr. em 1817. Ela atacaria os membros da família e muitas vezes blasfemava para a família, e ela acabou envenenado John Bell, Sr. deixando uma garrafa de veneno sob a forma de medicamento.

2 – Hécate



Hécate era a deusa grega da bruxaria. Ela também era a deusa das bruxas, feitiçaria, plantas venenosas, e uma série de outros atributos de bruxa. Hécate era filha do titã Perses, e ela ainda é adorada por alguns gregos politeístas. Diz-se que o próprio conceito de uma azaração veio dela, e santuários a ela foram criados para evitar a ira de demônios e espíritos no mito grego. Um de seus nomes – Chthonia – significa “do submundo”.

Então, o que a torna tão temível? Bem, ela é a deusa da bruxaria. Se ela existisse, provavelmente não levaria muito gentilmente para a Europa (ou Salem, Massachusetts) o antigo hábito de odiar e queimar / matar “bruxas” (que eram provavelmente apenas infelizes inocentes). O fato de que nós viramos em bruxas sábias mulheres que poderiam infligir dor e cura em mulheres bonitas, que usam a magia para enganar seus exames, provavelmente, a irritaria ligeiramente.

1 – Gréias / Morai



Gréias e Morai são dois trios diferentes de bruxas que compreendem os caprichos do destino, mas uma vez que são muitas vezes agrupados, vamos mencioná-los. O Morai girou o tear do destino, e o destino de todos foi amarrado a seu tear, mesmo aqueles não-mortais.

O Gréias, por outro lado, eram três irmãs maléfiaos – parentes à Górgonas (Medusa e suas duas irmãs menos conhecidas). O Gréias não era o grupo mais amigável, mas compartilhavam um olho – lembrou do desenho do Hércules, né?. O Gréias também tinha conhecimento do desconhecido e do destino, mas não controlavam. Então, o que é pior – irmãs da Medusa ou aquelas que poderiam cortar sua seqüência da vida? Eu ficaria longe de ambos, se fosse você.