7 Easter Eggs escondidos em filmes e séries

Todos já conhecem bem os Easter Eggs escondidos em jogos de vídeogame, como GTA e Battlefield, por isso era apenas uma questão de tempo antes de exploramos os Eggs do mundo da televisão e filmes. Então vamos lá…

7 – Rostos escondidos e mulher nua



A maioria de nós não olha duas vezes para cartazes de filmes, murmurando sob a respiração e dizendo: “Droga, eles estão fazendo / refazendo / reiniciando essa porcaria?” Por isso, é fácil perder algumas das coisas impressionantes que os artistas estão escondendo nos cartazes.

Por exemplo, confira o pôster do quarto filme de Indiana Jones:



Agora olhe bem de perto, entre os olhos da caveira, e você verá essa distinta imagem estilo alien:



Bem, não é alguma coisa? Mais de um ano antes do filme realmente sair, o grupo de marketing do filme deve ter tentado nos avisar secretamente para não vê-lo, porque é um filme maldito do Indiana Jones, com aliens malditos nele.
E enquanto o marketing de Cloverfield estava cheia de códigos secretos, jogos de realidade alternativa e estranhas pessoas penteando cada frame de cada trailer, ainda levou um ano após o lançamento do filme para perceberem que não há, aparentemente, uma imagem muito bem escondida do Monstro no cartaz.



Se você olhar para a fumaça no canto inferior direito, você pode ver metade de um rosto. Com uma imagem de espelho do cartaz ao lado dele, torna-se mais claro – você pode vê-lo no meio:




Ou é o monstro do filme, ou é o diabo ou algo assim.

Mas nenhum deles se comparam ao cartaz de O Silêncio dos Inocentes. Você se lembra da mariposas cabeça de morte que está apenas em 10 minutos do filme, mas está em todo os cartazes?



Claro, ela realmente tem marcações que lembram um pequeno crânio em suas costas. Mas não são tão detalhadsa como a do cartaz. Por que isso? Escolha estilística, talvez? Por que não dar uma olhada?



Isso não é um crânio. São sete mulheres nuas dispostas a parecer como um crânio. É realmente uma versão muito, muito pequena de uma fotografia famosa de Salvador Dali feita pelo Phillippe Halsman.




O cartaz para o filme de terror indie, The Descent, usou a mesma foto. E agora você nunca mais vai olhar para a boca de Jodie Foster da mesma forma novamente.


6 – O próximo filme da Pixar sempre está escondido no anterior



Não é surpreendente que os diretores vão querer dar um aceno para o passado. Quer se trate de David Fincher criando de uma conta no Facebook para Tyler Durden em A Rede Social, ou Peter Jackson ter seu macaco-rato de Sumatra de Braindead aparecendo em King Kong, os diretores gostam de dar pequenos acenos aos filmes anteriores.



Além do fato de que os filmes da Pixar em geral, são apenas um grande incestuoso de piadas, eles também gostam de apresentar personagens de filmes que ainda não foram feitos. Claro você já deve ter notado que Flik diz: “Ao infinito e além!” no “erros de gravação” de Vida de Inseto, ou que o caminhão do Pizza Planet aparece em praticamente todos os filmes da Pixar…



…Mas você também pode ver o Sr. Incrível de Os Incríveis (2004) em Procurando Nemo (2003), ou o cão Dug de Up (2009), em Ratatouille (2007). Pelo que pude perceber, essas referências futuras só começaram a aparecer a partir de Monstros SA, mas se você manter os olhos abertos – e for um tipo muito especial de nerd – vai encontrá-los. Aqui está o Nemo fazendo algumas participações especiais em Monstros SA (2001)…



…E parece que o HQ do Senhor Incrível saiu antes de Os Incríveis…



… e antes de ter olhos, Doc Hudson de Carros (2006) relaxava enquanto os heróis lutavam com robôs gigantes…



… e enquanto Remy corre por aí em Ratatouille, é Dug de Up que assusta ele.



Para não mencionar o fato de Lotso de Toy Story 3 (2010) ter seu próprio camafeu em Up…



… ou o novo personagem Finn McMissile de Carros 2 (2011) foi apresentado na parede de Andy em Toy Story 3…


5 – Um filme escondido em Os Simpsons, e uma linguagem escondida em Futurama



Lembra de Rainier Wolfcastle, o astro de ação Schwartzenegger que tem aparecido em Os Simpsons desde 2 ª temporada? Aparências iniciais apresentam clipes de Wolfcastle fazendo seu personagem mais famoso, um detetive chamado “Canhão Solto McBain”.



Acontece que se você juntar os vários clips de McBain entre 1991 e 1993, eles realmente formam uma trama coerente, com começo, meio e fim.

O produtor Al Jean, dos Simpsons, diz: “Sempre foi apenas concebido como os fragmentos mais melodramáticos de um filme maior, onde nós nunca realmente tivemos um grande filme em mente.” No entanto, quando você assistir ao mini-filme resultante, funciona. Primeiro vamos ver McBain discutindo com o chefe de polícia, porque ele não pode ir atrás do senador Mendoza. Em seguida, o parceiro de McBain é morto por capangas de Mendoza, levando McBain a deixar o chefe saber que ele planeja vingar sua morte. Então vemos McBain se infiltrando na mansão de Mendoza e sendo capturado. Finalmente, Mendoza é assegurado por seus capangas que McBain está morto, mas o herói faz um retorno inesperado e empurra o bandido de um edifício em um caminhão explodindo.



Mas quando se trata de desnecessariamente complicados Easter Eggs furtivos, você tem que tirar o chapéu para Futurama. Em muitos episódios, você pode ver os ícones aleatórios que aparecem no fundo – como uma espécie de língua estrangeira – como o grafite que você vê aqui:



… e no letreiro atrás de Bender, aqui…



E adivinha… São todos completamente traduzíveis. Na verdade, existem duas línguas estrangeiras no show: a primeira é exatamente como o nosso alfabeto só com símbolos diferentes, mas o segundo é um código mais complexo onde as letras têm valor numérico e a “próxima carta é dada pela soma de todas cartas anteriores, mais a letra atual.”

Se você está surpreso que os escritores de um show de comédia teriam o esforço de criar um novo idioma apenas para usá-lo para algumas piadas de fundo, não é nem mesmo a coisa mais sem sentido que eles fizeram. Escritores de Futurama também inventaram um novo teorema matemático.

Em um episódio, todos os personagens trocam de corpo, utilizando uma máquina de troca de corpo, mas, em seguida, verifica-se que a máquina não pode mudar as mesmas duas pessoas mais de uma vez. A fim de descobrir uma maneira de obter todos os personagens de volta para seus corpos originais, um dos escritores criou uma nova fórmula matemática, e ela realmente funciona. Eles ainda mostraram a fórmula completa no episódio, no caso de você não acreditar neles.



4 – Detalhes de enredo escondidos em outra língua



No início do Homem de Ferro, quando os terroristas que estão mantendo Tony Stark cativo enviam um vídeo para o seu parceiro de negócios, eles falam em sua própria língua, sem legendas. E você não precisa de legendas, porque você pode adivinhar o que eles estão dizendo a partir do contexto – você assume que está apenas pedindo um resgate ou qualquer outra coisa.



Mas com uma hora de filme, Tony tem o vídeo traduzido e descobrimos grande reviravolta na história do filme: Os terroristas estavam trabalhando com seu parceiro de negócios e suposto amigo. Mas se acontecer de você ser uma das 65 milhões de pessoas no mundo que entendem Urdu – a língua que os terroristas estavam falando – você já sabia disso uma hora atrás. Toda a torção é revelada bem ali naquela cena de abertura, em Urdu.

Mas nenhum filme foi mais propenso a fazer as pessoas bilíngues gritarem para a tela do que A Coisa, de John Carpenter. Lembra dos caras estranhos que aparecem junto com o cão no início, gritando o jargão? Eles não estão bêbados, eles são noruegueses. E não é apenas o jargão: É todo o enredo do filme.



No contexto da história, faz todo o sentido – Eles estão gritando: “Caia fora! Não é um cão! É uma coisa! Está imitando um cão! Não é real! Se afaste!!” Obviamente, os personagens não entendiam uma palavra.



Então, se você por acaso sabe norueguês, o filme é mais sobre heróicos noruegueses caçadores de aliens que são mortos por idiotas americanos porque eles não podem compreender outras línguas sem legendas.

3 – Loucura escondida em Apocalypto



A única informação de fundo que você precisa sobre este ovo de Páscoa é esta: Mel Gibson é insano.



Entenderam? OK, estamos prontos para continuar.

Depois do sucesso de A Paixão de Cristo e diante da impossibilidade de fazer uma sequência sem chatear uma considerável base de fãs, Gibson decidiu dirigir outro filme longo, violento, centenas de anos no passado e falado em uma língua antiga: Apocalypto. Muito trágico, sobre os últimos dias da civilização maia. No entanto, assim que o teaser trailer do filme foi lançado, algumas pessoas notaram algo… perturbador sobre isso.



Sim, aparentemente, Mel Gibson colocou uma imagem subliminar de sua barba louca no trailer de seu filme. Como mencionamos, esta não é uma comédia maluca – é quase tão dramático como A Paixão de Cristo, só que com mais tambores batendo e sequências de perseguição. OK, este Easter Egg não é tecnicamente no filme, e isso não é realmente louco, mas a próxima parte é. Procurar Easter Eggs em um filme é um pouco como jogar Onde está Wally – você sabe, aqueles livros sobre um cara vestido com listras vermelhas e brancas com tendência a se perder em grandes multidões de pessoas.



No corte teatral de Apocalypto é literalmente assim, enquanto a câmera passa sobre uma pilha enorme de cadáveres em uma cena particularmente terrível… você pode ver um único quadro de Wally deitado entre os cadáveres.



Isso é ou: A) o conjunto de um grande orçamento de Hollywood, ou B) uma sepultura real. Não se parece com Photoshop, e há meia dúzia de outros avistamentos no YouTube. O quadro foi retirado da versão em DVD do filme, mas o corte teatral ainda sobrevive graças às milhares de cópias piratas por aí online. Se você ainda acha que é uma brincadeira, pergunte a si mesmo: Você acha que isso é muito louco para Mel Gibson?

2 – John Landis realmente quer ver você na próxima quarta-feira



2001: Uma Odisséia no Espaço é sem dúvida um dos maiores filmes de todos os tempos, mesmo que ninguém tenha ideia sobre que diabos ele realmente seja. Influenciou diretores durante quase meio século, mas mesmo Kubrick não poderia ter previsto que uma linha descartável do filme que nem sequer é no script levaria a um dos mais longos Easter Eggs na história do cinema.



A linha é simplesmente “Até a próxima quarta-feira” e é dita pelo pai de um dos astronautas em um videofone. É isso aí. Mas a linha tinha um impacto tão grande sobre John Landis que ele escreveu um roteiro chamado “See You Next Wednesday”, em homenagem ao filme.



Tudo, desde pornô a um épico pré-histórico. Faz você pensar sobre o que era o trabalho de Landis.

Muitos entraram na onda SYNW, e a frase pode ser encontrada em todos os tipos de coisas, do jogo clássico Deus Ex a Hellboy II.


1 – Trilha sonora escondida de A Origem



A trama de A Origem é aprontar na mente de alguém sem a pessoa perceber. Acontece que, enquanto você estava assistindo ao filme, Chris Nolan estava fazendo totalmente a mesma coisa em você.



Mais especificamente, a “ideia” que Nolan secretamente colocou na sua cabeça foi essa:



Alguns contextos: No filme, sempre que DiCaprio e sua gangue estão prestes a acordar, eles ouvem a canção “Non, je ne regrette nien” por Edith Piaf. Mas você sabia essa parte – eles nunca esconderam o fato de estarem usando essa música em particular como parte do enredo. O que você pode não ter percebido é que você está ouvindo, mesmo quando acha que você não.



Lembra do tema instrumental ultra-dramático que você ouve mais e mais para os últimos 45 minutos do filme? Soa como uma trilha sonora típica de filme de verão feita para que você saiba que está ficando de verdade… mas na verdade é aquela mesma canção de Edith Piaf, quase irreconhecível.

A parte realmente interessante é que faz todo o sentido. A canção de Edith Piaf é uma maneira que os personagens sabem que estão prestes a acordar – mas desde que o tempo passa mais lentamente dentro sonhos, o que parece ser dois minutos e 23 segundos, na realidade, pode durar muito mais tempo para eles. Enquanto a música está tocando em velocidade normal no mundo de vigília, os personagens devem ouvir tudo mais lento.



Hans Zimmer, compositor do filme, disse que, para conseguir isso, eles foram para a França e extraíram duas notas originais da canção. Aparentemente, essas duas notas foram um longo caminho, porque ele também disse que “toda a música na partitura são subdivisões e multiplicações do ritmo de Edith Piaf”. Então, basicamente, música antiga + matemática = indicação ao Oscar.